COMO SABER SE SEU FILHO TEM UM TRANSTORNO DE APRENDIZAGEM?


COMO SABER SE SEU FILHO TEM UM TRANSTORNO DE APRENDIZAGEM?

 

Por Miriam Maria [1]Rodrigues Arcanjo-Psicopedagoga - Escolha um Terapeuta

 

 

 

É de extrema importância saber se o seu filho tem um transtorno de aprendizagem. Muitos pais queixam dos seus filhos, do comportamento em casa e ambiente escolar, como também dos problemas de aprendizagem, relatam principalmente hiperatividade e impulsividade. Em primeiro lugar é necessário identificar se a criança tem dificuldades escolares ou um transtorno de aprendizagem, o primeiro caso, refere-se ás situações externas da criança, como por exemplo, proposta pedagógica, emocional abalado ou por algum problema familiar, o indivíduo reagirá de forma negativa.

 

Os transtornos de aprendizagem são as dificuldades primárias ou específicas, é um mau funcionamento do sistema nervoso central, que estabelece os transtornos capazes de comprometer o desenvolvimento.  Nem sempre o SNC é o culpado pelo mau desempenho da criança. Existem estudos que mostram que as causas dislexias, discalculia, disgrafia, não são as únicas, temos as causas não primárias da dificuldade de aprendizagem que são os problemas físicos, pedagógicos e socioeconômicos. Também existem as dificuldades de aprendizagem secundárias, que são doenças, neurológica e mental, as doenças neurológicas mais frequentes que causam dificuldades de aprendizagem são paralisia e o TDAH – Transtorno déficit de atenção/ hiperatividade, deficiência mental, transtorno espectro autista e epilepsia.

 

O transtorno déficit de Atenção/ hiperatividade os principais sintomas, são quando a criança possui características básicas como a agitação e impulsividade, cometem erros por descuido na realização das tarefas, dificuldades em manter atenção nas atividades escolares, dificuldades de concentração, parece estar nas nuvens, finge não ouvir o que o outro está falando, interrompe os colegas e sempre perde o material escolar.

 

Dislexia é um desvio de reconhecimento de palavras, o individuo possui dificuldades da leitura e escrita confunde a letras com sons parecidos, como d e p, b e p /p e q/ b e d, entre outras, confusões com letras semelhantes, sons, leitura e escrita de difícil compreensão, são sinais da dislexia.

 

Discalculia é um distúrbio da matemática que pode ser assinalado pela baixa capacidade em manejar números e conceitos matemáticos, o déficit diz respeito ao domínio de agilidades computacionais básicas de adição, subtração, multiplicação e divisão, afeta a aquisição natural das habilidades aritméticas.

 

Disgrafia são dificuldades na fluência da escrita, que está relacionada com problemas psicomotores, alguns sintomas são letras variáveis, muito pequenas ou muito largas alinhamento e espaço variável entre as letras.

 

O transtorno do espectro autista TEA, são distúrbios do neurodesenvolvimento caracterizado por deficiente interação e comunicação social, Os sintomas começam desde a infância e muitas das vezes vêm acompanhados  por outros transtornos como deficiência cognitiva, epilepsia, transtornos de déficit de atenção/hiperatividade, transtornos psiquiátricos entre outros.

 

Transtornos específicos da aprendizagem estão no aspecto biológico, por se tratar de um transtorno do neurodesenvolvimento. Tanto o Código internacional de doenças, quanto no Manual diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, apresentam alguns tipos de transtornos específicos: o transtorno da leitura, o transtorno da matemática e o transtorno da escrita. O transtorno da leitura, o individuo, possui dificuldade em compreender palavras escritas, da matemática, conhecido também como discalculia, está relacionado com á forma que a criança associa as habilidades com o mundo que o cerca. No transtorno da expressão escrita: tratam da ortografia ou caligrafia, dificuldades em escrever textos, apresentando erros de gramática, pontuação dentro da frase e não consegue organizar parágrafos.

 

Quanto mais cedo for a descoberta de um transtorno de aprendizagem, mais elas podem ter uma análise e intervenção eficaz. O Ideal que os pais observem os sintomas citados em todos os transtornos de aprendizagem, ao perceber algum transtorno, buscar um profissional qualificado, para realizar o diagnóstico e o tratamento adequado.

 

Referência:

 


 

ROTTA ET al. Transtornos da Aprendizagem. Abordagem Neurobiológicas Multidisciplinar.: 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.

 


   



[1] salapsicoppmra@gmail.com