Depressão na Adolescência


Depressão na adolescência.

Muito se fala sobre a depressão da adolescência mas pouco sobre como os pais reagem ou tratam o adolescente quando o assunto é depressão
Medo, é o principal sentimento que afeta a família adolescência já é uma fase difícil e ter que enfrentá-la frente a um diagnóstico de depressão é ainda pior.


A depressão na adolescência pode ser causada por muitos fatores, dentre ele aspectos biológicos, é hereditários desencadeado por questões livro químicas do próprio organismo.
Desta forma a primeira pergunta que a família faz ao descobrir que seu filho tem depressão e se perguntar o que é ruim qual a sua culpa o porquê está passando por aquilo.


A negação é um ponto importante, pois muitas negam que há alguém com depressão em sua família. 


Muitas são as características da depressão assim como seus subtipos vamos falar um pouco sobre a Distimia. A distimia é um tipo de depressão causada por disfunção dos neurotransmissores dopamina e serotonina que afeta milhares de adolescentes e que não são necessariamente culpado por aspectos nem sociais e nem familiares.


Adolescência já é por si só uma frase de mudanças que vence as descobertas e surgimento de atividades psíquicas que causam confusão metal.
A distimia É diagnosticada principalmente em adolescentes de 14 aos 17 anos. Depois de um longo processo de investigação psiquiátrica que vai desde da suspeita esquizofrenia e depressão.
Nessa fase o jovem passa por um processo muito difícil onde são testados diversos medicamentos para o controle da depressão e estes por sua vez causam diversos contra efeitos, conversor de peso dificuldade para dormir ou excesso de sono falta de concentração interesse com os conteúdos curriculares isolamento conflitos e muitos outros.


O jovem passando por esta fase ele passa a se questionar sobre resistência tendo inúmeras crises sobre o porquê continuar vivo na fase mais aguda da doença o jovem pode ter tentativas de suicídio ou até mesmo chegar às vias de fato.


É preciso que a família compreenda que a depressão é uma doença séria e querer ficar sozinho não é uma opção para quem tem a depressão, ou mesmo a distimia, o que é um subtipo da doença.


O jovem precisa de tratamento medicamento como também de psicoterapia constante. A vigilância precisa-se redobrada principalmente nos primeiros meses em que o adolescente foi medicado a medicação nem sempre traz resultados positivos nas primeiras semanas às vezes o médico precisa ajustar a dosagem ou até mesmo trocar a medicação. Os pais precisam observar mudanças gástricas de comportamento de sono e até mesmo na aparência física. Por mais que o adolescente diga que está bem é preciso manter a vigilância mesmo quando tudo pareceu melhorar. 


Por Jossandra Barbosa.