Quando falar para meus filhos que vamos nos separar?


Esconder dos filhos. Para muitos casais é a primeira atitude a fazer  quando começam a planejar uma separação.  Até chegar ao ponto dela acontecer, muitas discussões já foram deflagradas. Brigas, ofensas e até violência das duas partes. Não somente os homens batem nas mulheres, mas estas zangadas também gritam, xigam e batem seja revidando as ofensas ou causando-as.

Calados e assustados os filhos, muitas vezes, assistam ou escutam as brigas e depois os choros. Muitos casais nem se dão conta que até chegar na separação eles já prejudicaram a saúde mental dos seus filhos profundamente.

Até o divórcio, são anos em que as coisas não vão bem. Dia bom, dia ruim vão sucedendo dia a pós dia em que o encanto do casamento e a paixão antes aflorada vai sendo substituída pelo rancor, medo, raiva e decepções.

São tantos sentimentos que se confundem com a dúvida sobre qual atitude tomar. Todos sofrem numa relação desgastadas, mas os impactos na criação dos filhos podem ser desastrosos e a longo prazo.

Durante as brigas os casais com raivas terminam por exalar todas as suas angustias e vomitar o que pensam um sobre o outro. Para piorar além de se magoarem expõem aos filhos o que eles têm de pior. Seus defeitos, fracassos, medos, traições, desonestidades e porque não segredos.

A hora certa de contar aos filhos quando haverá a separação é quando esta for uma certeza porque de nada adiantará criar uma expectativa de algo que não acontecerá.

Separações entre os conjugues são as maiores reclamações entre os adolescentes usuários de drogas, depressivos ou com pensamentos suicidas.

Mas a dificuldade destes jovens de lidar com a perda não é a separação em si mas como ela foi construída. Pois normalmente com muita dor. Gritos. Lamentações. E as perspectivas não parecem promissoras.

No drama familiar os casais esquecem da dor que causam nos filhos. Mesmo quando , pensam, que estão chorando ou sofrendo sozinhos. Eles percebem as marcas que ficam no rosto de quem passou a noite chorando mesmo em seu quarto fechado.

Uma separação deve ser construída e não somente imposta. Todos perdem. Todos terão que ceder. Mas os filhos serão, sempre, os mais afetados.


Por Jossandra Barbosa

Equipe do Escolha um Terapeuta!